- 
English
 - 
en
Portuguese
 - 
pt
Spanish
 - 
es

BLOG EVOINC

Confira as
nossas notícias

A importância da Governança Corporativa para o sucesso e perpetuação das empresas familiares

Compartilhar

CONTEÚDOS RELACIONADOS

Em recente levantamento de dados realizado no Brasil pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apurou-se que 90% das empresas possuem perfil familiar. Isso significa dizer que, levando em consideração a abrangência em caráter nacional, além de responder por mais da metade do Produto Interno Bruto – PIB elas também empregam 75% da mão de obra no País.  

Diante de espantosa relevância, cria-se uma preocupação quando nos deparamos com os últimos dados apontados em estudo realizado pelo Banco Mundial, o qual dispõe que apenas 30% das empresas familiares conseguem suceder até a 3ª geração, alarmando ainda mais a situação quando os indicadores desta mesma pesquisa nos mostram que somente 15% delas sobrevivem e ascendem a perpetuidade.  

Qual seria a origem dos riscos que as empresas familiares estão suscetíveis?  

Dentre os principais fatores responsáveis por esse declínio abrupto na linha de crescimento das empresas familiares após serem submetidas a suas transições geracionais está o modo como a camada de relacionamentos da família controladora/proprietária contamina o próprio negócio. 

Embora, atualmente, os líderes dessas empresas encontrem-se em posições mais flexíveis e auto questionadoras, ainda prevalece o cenário em que predomina a falta de transparência, autoritarismo e recusa ao diálogo.  

Entre os exemplos de conflitos internos que ocorrem em empresas com esse formato estão: a falta de diálogo, onde a comunicação é direcionada apenas para o interesse unilateral; protecionismos quando da ocorrência da sucessão; rivalidades particulares entre membros da família; sentimento de “posse” do negócio, impedindo, por exemplo, a delegação de funções de maior responsabilidade aos demais membros da empresa; gerações em conflitos; influência de familiares externos; pais que impõem que seus filhos devem trabalhar na empresa; dificuldades em desligar pessoas que não “performam” e dificuldades na escolha dos sucessores da empresa.  

Governança Corporativa como ferramenta fundamental para amenizar conflitos e propagar o sucesso e perpetuidade das empresas familiares

Para remediar conflitos dessa natureza, algumas empresas familiares utilizam-se da ferramenta de Governança Corporativa, caraterizada por procedimentos que envolvam organizar toda a estrutura da empresa familiar e estabelecer diretrizes das ações e metas, tanto da companhia quanto dos sócios, visando o crescimento consolidado e saudável, gerando resultados positivos.  

Desse modo, é recomendável que o processo de implantação da Governança Corporativa seja efetivado e estipulado desde o primórdio da empresa, ou seja, ainda no processo de planejamento administrativo, para que seja possível, já no acordo societário, descrever os regramentos, as normas e responsabilidades dos sócios, prevenindo surpresas indesejadas desde o princípio.  

Quais seriam as práticas e processos auxiliares aplicados pelo instrumento de Governança Corporativa e os reflexos benéficos de sua implementação?   

Conceitualmente, a Governança Corporativa é composta por um conjunto de práticas e processos que auxiliam a empresa a tomar decisões estratégicas, definir políticas, monitorar desempenho e garantir transparência e prestação de contas. Quando aplicada em empresas familiares, a governança corporativa tem como principal objetivo separar as gestões da empresa e da família, evitando conflitos de interesse e garantindo a sustentabilidade do negócio a longo prazo. 

As esferas que regem a Governança Familiar: propriedade, família e negócio

Algumas dessas práticas incluem: 

  • Estabelecer uma estrutura de governança clara: definir papeis e responsabilidade dos membros da família, dos Conselheiros e dos Executivos da empresa; 
  • Criar um Conselho de Administração independente: o Conselho deve ser composto por membros independentes e especialistas em áreas como finanças, estratégia e recursos humanos;
  • Estabelecer um código de ética e conduta: o código deve definir os valores e princípios da empresa, bem como as regras de comportamento dos membros da família e dos funcionários;
  • Estabelecimento de políticas e procedimentos claros e bem documentados para governar a empresa, incluindo política de gestão de riscos, políticas de sucessão e políticas de remuneração; 
  • Desenvolvimento de um plano de sucessão claro e bem definido para garantir que a gestão da empresa possa ser transferida de forma adequada para a próxima geração;
  • Transparência financeira e prestação de contas regular à família e aos acionistas externos. 

Para que a empresa familiar sustente seu crescimento e perpetuidade de patrimônio, é importante levar em consideração as estruturas que alinham os limites de atividade da empresa e, também, as interações entre estas estruturas. 

O Family Office é a estrutura que presta serviços aos membros da família, concedendo o suporte necessário à gestão do patrimônio particular dos sócios. Seu objetivo é gerir estruturas que sejam capazes de proteger o patrimônio, administrar os ativos financeiros, prestar serviços e atender as necessidades dos familiares e suas empresas, apoiar os processos sucessórios, dentre outras prerrogativas que podem ser adaptadas de acordo com cada estrutura familiar.

Estudos apontam que, as empresas que sobrevivem até a terceira geração e além, são as que realizam e formalizam regras que garantam a governança familiar, vez que, captaram desde o princípio a necessidade de a empresa crescer dentro de um plano de expansão bem estruturado, com objetivos de atrair novos líderes familiares capazes de implementar um projeto desafiador que motive os candidatos à sucessão a se apresentar para a difícil tarefa de comandar com sucesso o negócio da família. 

O Planejamento Sucessório aliado a Governança Corporativa 

Considerando a extrema importância do tema supra exposto, recomenda-se que as empresas familiares dediquem o seu tempo para criação de um rigoroso planejamento estratégico para arquitetar o futuro da família e da empresa, considerado indispensável para o processo sucessório. 

Os líderes que estão na atual gestão da empresa devem apoiar a nova geração, para que ela cumpra o seu futuro papel na empresa familiar. O planejamento sucessório não é algo rápido e simples de ser feito nas empresas familiares, mas é algo essencial para que elas alcancem novos voos, e aumentem o seu potencial.

Assim, se por um lado a Governança Corporativa busca garantir que as empresas sejam gerenciadas de forma ética, transparente e responsável, com uma estrutura de tomada de decisão clara e equilibrada, com foco na criação de valor para os acionistas e na gestão de riscos. Por outro, o planejamento sucessório é um processo cuidadoso que almeja garantir que a transição de uma empresa para uma nova geração ou proprietário seja feita de forma tranquila e eficaz, minimizando os riscos e garantindo a continuidade das operações. 

Estabelecido o processo de Governança Corporativa adequado, os resultados serão percebidos tão logo sua implantação for concluída. Dentre as benesses que podem ser citadas, a segurança financeira da empresa, o diálogo entre os sócios, a motivação entre todos com interesses visando um bem comum. 

Conclusão 

Sem dúvidas, o maior desafio encontrado nas empresas familiares, conforme abordagem deste artigo, é o processo sucessório com todas as suas nuances complexas, tendo em vista que envolver membros da família, patrimônio, dinheiro e empresa e o momento delicado do eventual falecimento do sucedido, torna-se um problema quando os herdeiros não estão capacitados para assumir a administração da empresa. 

Portanto, é necessário que haja um modelo de Governança Corporativa a ser aplicado nas empresas para dar apoio e base ao processo sucessório, e para formação de uma gestão profissionalizada que satisfaça os anseios da sociedade ao prosseguir com as transições geracionais, dilatando os ciclos de seus negócios.   

Para que seja possível atingir os resultados positivos é indispensável considerar o trabalho de uma empresa de consultoria especializada, em boas práticas de Governança Corporativa, desde o início da implantação de seu processo. A consultoria auxilia os sócios para que estes desenvolvam as atividades conforme foram desenhadas.

Dessa maneira, nossos especialistas da evoinc. estão preparados para te auxiliar a projetar uma estratégia protetiva e, principalmente, executar todos os trâmites necessários para a perpetuação e crescimento seguro da sua empresa.

Conheça nossa expertise no setor de bioenergia e saiba o que podemos fazer pelo seu negócio!

ASSINE NOSSA

Newsletter